APOIO/PATROCÍNIOS

APOIO/PATROCÍNIOS

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

MARATONA DE LISBOA 2008


Chuva Vasco e Abel Condesso


Depois de algumas lesões e muitas folgas, depois de nas vésperas estar física e mentalmente em baixo, foi cumprido o objectivo de realizar mais uma maratona.

A partida foi dada às 9 horas na Praça do comércio e logo notei que estava com o pulso muito alto – ao fim de 10 minutos de corrida já estava com 164 bpm.
No sentido Praça do Comércio - Algés o vento soprava forte e alguma chuva caiu.

Acompanhei o meu amigo Abel até aos 10 kms, mas acabei por deixá-lo afastar-se visto que já estava com 174 bpm e ainda faltavam 32 kms, portanto muita corrida e pouca margem para me “esticar”. Ainda assim, a partir dos 10 kms a velocidade aumentou ligeiramente e o pulso também subiu gradualmente até atingir os 180 bpm à 1:35 hora.

À meia maratona passei com 1h42, fresco que nem uma rosa colei-me atrás de um atleta que levava um ritmo ligeiramente superior ao meu, e segui-o durante uns 12 kms altura em que ele começa a diminuir o ritmo e eu acabei por ultrapassá-lo, continuando com o objectivo de fazer as 3:30 horas.

Durante a prova paguei caro um esquecimento: deixei o boné em casa e durante a prova não só necessitei dele para manter os óculos limpos da chuva, mas principalmente para evitar o escorrer do suor nos olhos. Era uma situação aflitiva quando o sal os inundava e lá tinha eu que me socorrer da t-shirt para aliviar o estorvo. A chuva nas duas ou três vezes que caiu até que se revelou benéfica, pois conseguia diluir o sal e limpar-me os olhos.

Estranho foi que durante a prova apenas tomei um gel e alguma água e bebida isotónica, julgo que o necessário para não ficar com o bandulho aos solavancos. Talvez tenha hidratado pouco, mas de facto não senti necessidade de mais.

Até aproximadamente ao km 37 (2:55 horas) ia bem, no entanto a partir daí comecei de facto a sentir a falta de treinos. Surpreendentemente a partir desta altura o pulso começou a querer baixar, tendo chegado mesmo aos 178 bpm. Não podia permitir que isso acontecesse pois isso iria comprometer o andamento, portanto a opção foi tentar manter o andamento, mesmo que isso tivesse como consequência o aumento do ritmo cardíaco.

Os últimos 5 kms foram feitos no espírito de “aguentar”, pois já pesava o cansaço nas pernas. Acabei bem e em nada comparado às outras maratonas de Lisboa em que mal conseguia mexer os membros inferiores – subir e descer escadas era uma tarefa só acessível de costas (ahahahah).

Fazendo o ponto da situação, fiquei deveras satisfeito com as 3:24 horas, ficando a promessa de voltar numa próxima edição para baixar o tempo.

Agora é relaxar um pouco, para em Janeiro voltar à carga, e trabalhar para o Ironman de Ampolla (Ironcat) no dia 17 de Maio e posteriormente em Agosto se tudo correr bem, realizar o Embrunman , este que é um dos mais duros Ironmans do mundo realizado no coração dos Alpes de França.

Para finalizar gostaria de dar publicamente os parabéns ao Abel por ter feito um excelente resultado na sua primeira maratona - 3:11:30 horas (125ª posição).


Resultados

Tempo final: 3:24:18 horas
Classificação absolutos: 234
Classificação no escalão: 53º
Nº de participantes a concluir a prova: 1001


Outros dados

Pulso médio: 174 bpm
Pulso máximo: 186 bpm
Média andamento: 4:50 min/km
Velocidade média: 12,4 kms/h


Registo cardiográfico da prova (não se assustem com os valores!) - clique na imagem para ampliar



Pequeno vídeo da prova


4 comentários:

Nuno Sacramento disse...

Parabéns Grande Chuva Vasco.
Foi um belo tempo o teu , estás em forma!!!!
Agora não pares e como li que estás a pensar fazer o ironcat fico feliz por ti, eu ainda ando com dores no joelho... vai fazer dois meses q fui operado...não tenho treinado nada pois o medico diz q devo descansar....tou fulo como deves imaginar....mas mais uma vez PARABÉNS pela bela prova.

abraço amigo nuno sacra

Chuva Vasco disse...

Obrigado, de facto fiquei satisfeito com o resultado, agora é aliviar um pouco para recomeçar em grande para os Ironmans. Quanto a ti fico triste que estejas a passar um mau bocado com o teu joelho. Tens de ser paciente, e levar as coisas com calma pois a operação que fizestes não é "coisa leve". Na próxima maratona conto contigo para participar e verás que esse problema será apenas passado.

Abraço

Chuva Vasco

Anónimo disse...

Pois é já está....bem t disse que ias baixar a "tampa" das 3 horas 30 minutos...Alem de partirmos outra vez com mil corredores á nossa frente que nem via o insuflavel da partida correu bem...
Axei engraçado quando nos afastamos um do outro aos dez km lol, ñ dissemos nada um ao outro mas cada um tem o seu ritmo e á k respeita-lo, como sabes tinha um objectivo delineado embora quase todos m dissessem k era dificil ,lá o provei mais uma vez k somos rijos e determinados e eu a nivel pessoal acredito nas minhas capacidades e tu precisas de acreditar mais em ti vasquinho(lol) ñ á super homens mas sim pessoas capazes que com dedicação e esforço ultrapassam barreiras e sempre com a nossa velocidade de cruzeiro lol. Pro ano fica um promessa que iremos bater outra barreira que pr já ñ divulgamos,tambem temos de fazer alguma coisa ás escondidas(ele sabe a quem me refiro), ah e preciso de emagreçer já sei menos 5 kg tenho um rabo pareçe um dançarino da kizomba pá ...
grande abraço e um ate já
abel condesso

Chuva Vasco disse...

Sabes Abel prefiro ser eu a passar outros a ferro, do que serem eles a me passarem a mim, por isso, o facto de termos saído cá para trás não me incomoda muito. Talvez baixasse dos 24 minutos ou mais, mas que me importa isso? São segundos. Por outro lado, eu acredito muito em mim, mas como sabes falhei muitos treinos, ora por estar lesionado nos gêmeos, ora por estar constipado, ora por ócio, etc. Lá no fundo eu sabia que iria atingir as 3:30 horas, isto porque os poucos treinos que fiz o demonstraram e como sabes eu suporto bem o pulso alto, coisa que me beneficiou, porque acredito que nem todos se sentirão bem andar quase duas horas a 180 bpm e mais do que isso. Como bem dizes, isso faz parte do espírito de sacrifício e da dureza de cada um (sou um duro, melhor dizendo um durão ahahahahah!!!).
Portanto acreditar em mim, acredito, às vezes temos é de nos desmotivar um pouco, para que as coisas corram melhor (lol). Sabes bem que na véspera ainda estava indeciso como iria partir, em face do problema último que tive no meu pé e no tal dedo que me dava choques (que diga-se de passagem ainda continua).
Pareces um dançarino? Nada mau, porque eu pareço uma bailarina! E por falar de peso, fazia-me bem perder algum, estou a ter muita dificuldade em baixar o peso e sinto-me pesado a correr, embora também me sinta forte, talvez até esteja errado e a melhoria da performance passe por um ligeiro aumento. Será? Começo a pensar que sim.
Agora é só pensar no próximo objectivo - Ironcat e grandes treinos aí vêm.
Abraço

Chuva Vasco