APOIO/PATROCÍNIOS

APOIO/PATROCÍNIOS

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

PARABÉNS AO 5º MELHOR ULTRAMAN DO MUNDO

Para quem julga dificil concretizar um Ironman, imagine algo com mais do dobro da distância. Essa coisa chama-se ULTRAMAN, uma prova de triatlo realizada em 3 dias no Havai, nas distâncias de 10 kms de natação, 421 kms de bicicleta e 84 kms de corrida.

Foi isso que carlos Conceição realizou no passado mês de Novembro, tendo-se excelentemente classificado no 5º lugar entre 40 participantes.
Parabéns pelo teu resultado e desejo-te mais sucessos desportivos.



Carlos Conceição


PARA FOTOS DA PROVA CLIQUE AQUI


RESULTADOS


1º dia:
Natação (10 kms)- 3:29:27 horas
Ciclismo (145 kms) - 5:54:53 horas
Total de tempo - 9:04:20 horas
Classificação: 10º lugar


2º dia:
Ciclismo (276 kms) - 8:36:29 horas
Total de tempo ciclismo - 14:11:22 horas
Tempo total: 17:40:49 horas
Classificação: 10º lugar


3º dia:
Corrida (84 kms) - 6:46:28 horas
Tempo total: 24:27:17 horas
Classificação: 3º lugar

Classificação final: 5º lugar


RELATO DA PROVA

Para participar do Ultraman do Hawaii o atleta precisa preencher uma ficha de avaliação esportiva e a organização avalia se o atleta esta qualificado a participar desta competição. Somente 40 atletas são qualificados por ano.

Depois de alguns anos planejando e tentando competir em um Ultraman finalmente o sonho foi realizado. Trabalho de anos mentalizando a dureza que seria treinar e competir nesta modalidade que testa a resistência do corpo e mente. Anos tentando apoio e sabemos que neste pais, tirando alguns esportes, é muito difícil.

Já adorava o triathlon e agora também adoro Ultraman ... Prova dura? Sim, porem de uma beleza e determinação incrível.
Os 40 melhores triathletas de longas distâncias do mundo foram selecionados para participar do Campeonato Mundial de Ultraman no Havaí de 2008 e Carlos Paiva Conceição estava neste grupo seleto e fez bonito chamando atenção da imprensa americana ao qual publicou que o brasileiro Carlos Conceição correu uma ultra maratona de 84km de forma brilhante sendo o terceiro a cruzar a linha de chegada no terceiro dia e com isto saindo da décima posição para ficar entre os cinco melhores Ultramans de 2008, com direito a foto de chegada.

Cheguei no Havaí na semana do Campeonato Mundial de Ironman do Havaí. Meu objetivo no Ironman este ano era apenas um treino forçado porque meu objetivo principal seria o Campeonato Mundial de Ulraman. Continuei com meus treinos normais e fui correr o Ironman. Mantive a calma e sempre concentrado em manter as médias de velocidade pretendida para na me desgastar. Os dias seguintes que seriam focados para o Ultraman. Terminei o Ironman com o tempo previsto e estava pronto para ficar quase dois meses no Havaí treinando, climatizando e focado para a longa e dura competição de Ultraman.

Foram quase dois meses de aprendizado local e conhecimento de como é realmente linda a Ilha ¨Big Island´no Havaí. Quase toda manha saia pra nadar em um mar azul transparente e com uma riqueza de peixes e corais. Nadei ao lado de peixes coloridos, moréia, tartarugas, arraia e uns doze golfinhos. Momentos inesquecíveis na mina vida. Fiquei impressionado como varias pessoas com mais de 50 anos de idade nadam todos os dias no pier de Kailua-Kona aonde é o local da largada do Ironman e Ultraman.

Pedalar era um prazer também a parte. Vários dias de pedaladas na estrada aonde é realizado o Ironman tendo a vista das pedras vulcânicas de um lado e o oceano pacífico ao outro. Outras pedaladas fazia no percurso do primeiro dia do Ultraman. Um percurso duro de muitas subidas e descidas e com muito vento contra. No primeiro dia de pedal no Ultraman saímos do nível do mar e vamos a 4.000 pés de altitude. Fazendo estes treinos fiquei bem familiarizado com o percurso o que me fez ficar bastante tranqüilo e com firmeza para o dia da competição.

Parte do percurso do segundo dia fiz apenas de carro porque era muito distante do local que estava morando.

Os treinos de corrida parte fazia no percurso da corrida do Ultraman, porem na maioria corria na avenida que beirava algumas praias e pequenos picos de surf em Kona. Já estava local. Existe cerca de 4 bebedouros em um percurso de 10 km e isto era ótimo para longas corridas.

A vida noturna em Kona acaba cedo e isto permitia relaxar mais cedo pra o próximo dia de treino.

Conheci muitas pessoas locais e ate brasileiros e foram todos muito receptivos.

O grande e longo dia da largada do Ultraman...
Largamos ao amanhecer e cada atleta era acompanhado por um caiaque. No ultraman isto é obrigatório. Quem me acompanhou era uma remadora de canoa havaiana com certa idade e com o corpo bem definido mostrando que era uma atleta determinada. Me acompanhou com todo seu conhecimento da baia de Kona até fazendo eu desviar das águas-vivas que apareceram durante o percurso. Algumas encostaram no meu rosto e dedos, porem nada que doesse e me fizesse parar. Terminei os 10km de natação de forma forte e bem animado para a primeira parte do pedal.

Cada atleta é obrigatório ser acompanhado por dois ajudantes de carro e meus ajudantes foram incríveis me dando todo apoio possível, me hidratando, alimentado, massageando e tendo a percepção dos meus momentos de fraqueza me dando todo incentivo e necessidades possíveis para minha ótima atuação. Até aumentaram o som do carro com rock rolando para dar aquele ânimo a mais.

Sai para um pedal duro e longo conseguindo ser progressivo durante o percurso e conquistando posições.

Segundo dia de prova e longo pedal pela frente. Saímos em um amanhecer frio e com uma descida longa. Momento estratégico de conquistar posições e manter uma boa colocação. Em um terço de prova caiu uma chuva bastante forte que doía os olhos. Passamos por alguns bairros e tínhamos que parar nos sinais de trânsito que estavam vermelhos. Antes de chegar no percurso que seria uma subida bem forte escalando outro vulcão houve um furo de pneu e fizemos uma troca bem rápida e voltamos logo para a competição.

Subidas fortes e longas e estava quase no final do segundo dia de competição. Perto do final do percurso havia umas descidas alucinantes e desci muito forte e rápido passando por um radar a 90km/h.....isto mesmo...loucura a adrenalina pura.

Fim do segundo dia e estava em décimo no campeonato.

Terceiro e último dia e o que deveria doer mais por ser uma dupla maratona. Nas três modalidades a corrida é a minha mais forte e sai para correr junto com o grupo de frente, mas impus meu ritmo de 4 minutos e trinta segundos por quilômetros no inicio da primeira parte da maratona. O percurso da largada que foi em Hawí até chegar na estrada 19 era lindo avistando o amanhecer e o pacifico do meu lado direito. Acredito que Deus ao criar o Pacífico ele estava namorando. A cada 21km a organização dava a colocação dos atletas e seu tempo. Até o quilometro 42 eu era o quinto colocado e estava me aproximando do quarto e terceiro colocados. Mantive meu ritmo pretendido e concentração. Faltando uns 30km para o final da ultra maratona alcancei o quarto colocado e logo em seguida o terceiro. Faltava 12km para terminar o percurso e já sentia muito sinal de cansado e dores nas pernas. Alimentação, hidratação e massagem foram fundamentais para manter o ritmo. Uma pessoa da equipe veio me acompanhar na corrida para manter meu ritmo. Isto é permitido no ultraman e um ponto de estratégia. Estava em terceiro e o quarto não estava deixando barato e veio no meu calcanhar. Minha estratégia era deixar uma arrancada para o final e como já conhecia o percurso sabia exatamente aonde viriam as subidas, descidas e aonde ia usar minhas últimas forças para a grande chegada. No ponto exato previsto arranquei e o quarto colocado no momento que pensou em reagir já era tarde. Corri muito forte e abri uns 200 metros do outro atleta. Com isto terminei com o terceiro melhor tempo da ultra maratona buscando a quinta colocação no Ultraman com a soma dos tempos dos três dias de muita força e superação.

Na premiação fui muito cumprimentado pelos atletas que gostaram do meu primeiro desempenho em um Ultraman.

A premiação é outra beleza a parte. Todos são homenageados de forma igual porque sabem que é uma competição muito dura e todos merecem o reconhecimento.

Terminei os 10 km de natação. os 421 km de bicicleta e os 84 km de corrida em 24:27:17h

Agradecimento especial a Assessoria Esportiva Marcos Paulo Reis que me deu todo apoio para alcançar mais esta conquista em minha vida esportiva.

Este ano tivemos o maior número de brasileiros participando do Campeonato Mundial de Ultraman. Fomos 5 grandes guerreiros.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

MARATONA DE LISBOA 2008


Chuva Vasco e Abel Condesso


Depois de algumas lesões e muitas folgas, depois de nas vésperas estar física e mentalmente em baixo, foi cumprido o objectivo de realizar mais uma maratona.

A partida foi dada às 9 horas na Praça do comércio e logo notei que estava com o pulso muito alto – ao fim de 10 minutos de corrida já estava com 164 bpm.
No sentido Praça do Comércio - Algés o vento soprava forte e alguma chuva caiu.

Acompanhei o meu amigo Abel até aos 10 kms, mas acabei por deixá-lo afastar-se visto que já estava com 174 bpm e ainda faltavam 32 kms, portanto muita corrida e pouca margem para me “esticar”. Ainda assim, a partir dos 10 kms a velocidade aumentou ligeiramente e o pulso também subiu gradualmente até atingir os 180 bpm à 1:35 hora.

À meia maratona passei com 1h42, fresco que nem uma rosa colei-me atrás de um atleta que levava um ritmo ligeiramente superior ao meu, e segui-o durante uns 12 kms altura em que ele começa a diminuir o ritmo e eu acabei por ultrapassá-lo, continuando com o objectivo de fazer as 3:30 horas.

Durante a prova paguei caro um esquecimento: deixei o boné em casa e durante a prova não só necessitei dele para manter os óculos limpos da chuva, mas principalmente para evitar o escorrer do suor nos olhos. Era uma situação aflitiva quando o sal os inundava e lá tinha eu que me socorrer da t-shirt para aliviar o estorvo. A chuva nas duas ou três vezes que caiu até que se revelou benéfica, pois conseguia diluir o sal e limpar-me os olhos.

Estranho foi que durante a prova apenas tomei um gel e alguma água e bebida isotónica, julgo que o necessário para não ficar com o bandulho aos solavancos. Talvez tenha hidratado pouco, mas de facto não senti necessidade de mais.

Até aproximadamente ao km 37 (2:55 horas) ia bem, no entanto a partir daí comecei de facto a sentir a falta de treinos. Surpreendentemente a partir desta altura o pulso começou a querer baixar, tendo chegado mesmo aos 178 bpm. Não podia permitir que isso acontecesse pois isso iria comprometer o andamento, portanto a opção foi tentar manter o andamento, mesmo que isso tivesse como consequência o aumento do ritmo cardíaco.

Os últimos 5 kms foram feitos no espírito de “aguentar”, pois já pesava o cansaço nas pernas. Acabei bem e em nada comparado às outras maratonas de Lisboa em que mal conseguia mexer os membros inferiores – subir e descer escadas era uma tarefa só acessível de costas (ahahahah).

Fazendo o ponto da situação, fiquei deveras satisfeito com as 3:24 horas, ficando a promessa de voltar numa próxima edição para baixar o tempo.

Agora é relaxar um pouco, para em Janeiro voltar à carga, e trabalhar para o Ironman de Ampolla (Ironcat) no dia 17 de Maio e posteriormente em Agosto se tudo correr bem, realizar o Embrunman , este que é um dos mais duros Ironmans do mundo realizado no coração dos Alpes de França.

Para finalizar gostaria de dar publicamente os parabéns ao Abel por ter feito um excelente resultado na sua primeira maratona - 3:11:30 horas (125ª posição).


Resultados

Tempo final: 3:24:18 horas
Classificação absolutos: 234
Classificação no escalão: 53º
Nº de participantes a concluir a prova: 1001


Outros dados

Pulso médio: 174 bpm
Pulso máximo: 186 bpm
Média andamento: 4:50 min/km
Velocidade média: 12,4 kms/h


Registo cardiográfico da prova (não se assustem com os valores!) - clique na imagem para ampliar



Pequeno vídeo da prova


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

MARATONA À VISTA

É já no próximo Domingo que se realiza mais uma edição da Maratona de Lisboa. Da minha parte e depois de vários treinos atribulados, lá estarei para cumprir mais uns 42,195 metros.
Alguns triatletas vão estar presentes, a todos desejo boa prova.

A título particular desejo boa sorte ao Abel Condesso pela sua estreia na distância e agradecer o companheirismo por todos os treinos em conjunto.

Saudações desportivas

Chuva Vasco