APOIO/PATROCÍNIOS

APOIO/PATROCÍNIOS

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Sissi no IM de Inglaterra

Desta vez, a participação portuguesa num Ironman cabe a uma jovem atleta, de seu nome Cecília Franco, para os amigos Sissi. Esta participação, de facto é coisa muito rara em terras lusas. A jovem nutricionista em formação, atleta do "Triatlo de Oeiras Sport Clube" esteve em Sherbourne (Inglaterra), para realizar o seu 3º Ironman, tendo conseguido um excelente tempo de 12 horas e 33 minutos. As dificuldades da provas estão bem presentes no seu relato.
Aproveito para reiterar felicitações por mais uma participação.


Fotos


Sissi no IM de Inglaterra



Relato

«De regresso a Portugal... aqui vão as notícias pelas quais tanto aguardavam...

My God, a prova doeu-me desde o primeiro ao último minuto de corrida... Ok, pronto, estou a exagerar... a corrida não doeu nada!
No dia antes da prova choveu imenso, e estava muito frio, muita lama, muito desanimador. No briefing da prova falaram-nos do perigo de hipotermia... acontece que eu não tinha levado as minhas roupas de Inverno para pedalar, nem correr. Estava desprevenida.
No dia da prova acordei às 3h45, fiz a minha rotinha pré-competição: pequeno-almoço sem fibras nenhumas (pão branco, café com doce), depois um momento de descontracção na casa de banho (fundamental para uma prova destas, ir levezinha). Às 4h30 saí de casa a caminho do lugar da prova. Fui a pé com um amigo meu que também fez a prova, e fazia frio, nuvens no céu. Adivinhava-se um dia invernoso. As nuvens ameaçavam chover a qualquer momento. O vento já se fazia sentir com alguma intensidade.


Uma última vistoria na bicicleta, encher os pneus, limpar da chuva que caiu durante a noite. Uma última visita à casa de banho (imprescindível, afinal de contas são muitas horas em prova). É tempo de vestir o fato isotérmico, e deixar o conforto dos sapatos e das meias quentinhas, e enfrentar a relva molhada e enlameada do recinto da prova.

São 5h45. Sigo para o lago. Eu e os 1500 atletas entrámos dentro da água gelada do lago de Sherbourne. Às 6h15 é dado o tiro de partida. Depois de uns quantos metros a levar porrada de outros atletas (o lago é estreito para tanto atleta) lá consegui encontrar um lugar para mim. Eu estava era gelada. A água estava a 11ºC, e mesmo com fato isotérmico nunca durante os 3,8km consegui aquecer. Só desejava sair de dentro da água gelada. Fiz a natação em 1h08min. Saí da água e o público incentivou-me com aplausos e palavras de força!

No primeiro parque de transição vesti roupas secas para o ciclismo. Peguei na bicicleta e assim que começo a pedalar vejo que tenho um longo e penoso percurso pela frente. Muito vento e frio e alguma chuva, um temporal. Nunca me consegui aquecer durante os 180km de ciclismo. Todo o tempo com a cabeça e os pés gelados. Para não arrefecer mais ia sempre a puxar, sempre a insistir mais. Em muitos momentos pensei em desistir. Queria estar em casa, na caminha quente. Não me estava a divertir nada. O percurso era 3 voltas de 60km, por uma estrada com pavimento irregular, com subidas e descidas complicadas (é um dos percursos de ciclismo mais difíceis nas provas de Ironman). No início de cada volta passava perto de Sherbourne, e tinha vontade de ficar ali e encostar a bicicleta. Mas com o incentivo do público lá me recompunha e continuava. No final de tanto penar, acabei por fazer 6h56, melhorando o tempo do meu último Ironman na Alemanha, no ano passado!

Feliz pelos tempos que estava a fazer, motivei-me para continuar a prova! Novamente no parque de transição, troquei as roupas de ciclismo para as da corrida.
Uns suaves raios de sol espreitaram por entre as densas nuvens, inspirando-me para os 42,2km de corrida que se seguiam. Mais uma vez, o público, incansável, motiva os atletas com palavras de apoio. As minhas pernas estavam surpreendentemente soltas para correr! Nunca pensei! O percurso era composto por duas voltas de 4milhas cada, por trilhos enlameados, e outras duas voltas mais compridas, atravessando a vila de Sherbourne. Corri seguido até às 3h30, cerca de 37km. Depois caminhei no máximo 1km. Voltei a correr seguido até à meta. Apesar da dificuldade do percurso, eu estava a voar! Nunca corri assim! Mesmo com vento e frio, acabei a maratona em 4h12min!

No final, estava a chegar à meta com 12h33min de prova!
Depois da meta, podia ter ido para a massagem, ou comer qualquer coisa, uma bebida quente, mas algo me disse que precisava de me deitar. O meu corpo enviou-me uma mensagem clara de que algo não estava bem, e que antes de me alimentar, precisava de curar a hipotermia. Uma passagem pela tenda da assistência médica, para me deitar e aquecer debaixo de montes mantas, pois estava com 35º.... Acho que se corri tão depressa foi porque queria chegar mais rapidamente à caminha quentinha!!! Rodeada de atenção por parte dos assistentes, e coberta de mantas, senti-me protegida e feliz, pois no fim de contas, TODOS os meus objectivos iniciais foram alcançados, mesmo que eu nunca tivesse acreditado que iria conseguir:

Nadar em menos de 1h10, pedalar em menos de 7h, correr até às 3h da maratona, e chegar em 12h30 de prova (ou pelo menos baixar das 13h), em suma, melhorar os tempos da prova do ano passado que fiz em Roth (Alemanha), e que foram Natação 1h10, Ciclismo 7h00, Corrida 4h50, Total 13h11min.

Natação 1h08.47 (3,8km)
Ciclismo 6h56.16 (180km)
Corrida 4h12.00 (42km)
TOTAL 12h33.00 (226km)»




5 comentários:

Schlumpy disse...

Parabéns à Sissi! Mas cuidado com essas diferenças de temperatura. O meu último triatlo foi em 2005 em Hamburgo e com o temporal e o frio fiquei mesmo com hipotermia... demorei muito a recuperar. Só há duas semanas ganhei coragem para recomeçar a treinar... agora.. sempre com muita roupinha :)))

robert mayoral disse...

buen crono final!!
Parabéns SISSI!

Chuva Vasco disse...

Olá Robert Mayoral,

a Sissi é uma grande women, que promete bons resultados nestas distâncias.

Abraço

Chuva Vasco

Jordão Alves disse...

Olá amigo era a Sra que falava ontem
Abr

Chuva Vasco disse...

A Sissi (Cecília Franco) não foi quem falou ontem, mas eventualmente a irmã
Abraço